É A ECONOMIA, ESTÚPIDO! – O Banco de Portugal e a CMVM são duas varas de comunistas!
28 Out

É A ECONOMIA, ESTÚPIDO! – O Banco de Portugal e a CMVM são duas varas de comunistas!

Estava eu a desenriçar a carpete de uma abastada viúva com a minha escova de cardar, quando oiço a milf Clara de Sousa a dizer que o Banco de Portugal e a CMVM vão propor que se limite a remuneração variável dos banqueiros.

Mas isto está tudo louco ou o Vítor Constâncio e o Carlos Tavares foram mordidos no pescoço por um militante do PCP? Cambada de comunas!

Parei de desencarapinhar a tiazorra (que de qualquer forma parecia ter já perdido os sentidos) por forma a tomar atenção ao desenvolvimento da notícia que acabou por ser mais herética que dois ou três Saramagos a desenrolar sobre Deus sob o efeito de diazepina.

Limitar os bónus da Banca? Remuneração variável mais baixa que o salário fixo? Mas os reguladores tresloucaram? Alguém chame um cowboy, um campino ou uma freira muito beata mas sem buço, que estes tipos tresmalharam!

Tenho a senha 345 para papar a Marta Leite de Castro. Alguém sabe em que número vai?
Tenho a senha 345 para papar a Marta Leite de Castro. Alguém sabe em que número vai?

A banca está contra e eu também, até porque as minhas comissões de intermediário saem directamente dessa parte variável. Andaram os bancos a aforrar as ajudas do Estado em tempo de crise para agora as devolver? É que se esta proposta é aprovada, daqui a pouco estamos a declarar o que ganhamos ou a pagar impostos!

Estava eu a lidar com estes pensamentos à mesma velocidade com que o padre de Boticas arranja uma caçadeira nova quando pensei em dois métodos para fazer esta proposta cair por terra mais prontamente do que o Aimar na grande-área. Apeei rapidamente da velha inanimada e apressei-me a procurar algo na minha pasta de lóbi com que pudesse exercer pressão (uma forma moderadamente mais legal de fazer chantagem) sobre os dois reguladores. Nada!

Não conseguindo encontrar uma foto incriminatória de um deles vestido de sevilhana, de Tarzan Taborda, ou até a aguardar a sua vez à porta da Marta Leite de Castro, vi-me obrigado a passar ao plano B: Nuno Melo e Joe Berardo.

Nuno Melo é o mais capaz para enfurecer Vítor Constâncio para além do razoável e do efeito do Xanax, e Carlos Tavares sai facilmente do sério com a forma que Joe Berardo arranjou de pronunciar CMVM: Cêvém, Civém… enfim, isso.

Como os casos BPN, BPP e BCP já estão em lume brando, lá terei que denunciar anonimamente outro banco que tenha ex-políticos no conselho de administração. E se me perguntarem se isso vai afectar os depósitos das pessoas, ou até do Jorge Jesus, eu respondo: antes a ti do que a mim.

É a Economia, comunas!


Nota do autor (2015): Pedro Biltre Farfalho é um personagem fictício, supostamente versado em economia. Com uma personalidade estúpida e machista, foi o primeiro neo-liberal português, já que todos os textos foram escritos numa era pré-Passos. E por neo-liberal entenda-se, um prestador de serviços que está onde está o dinheiro.