É A ECONOMIA, ESTÚPIDO! – Taxa Euribor está a descer, mas os bancos “cagasti” para isso e sobem os spreads
25 Ago

É A ECONOMIA, ESTÚPIDO! – Taxa Euribor está a descer, mas os bancos “cagasti” para isso e sobem os spreads

Boas!

Começo esta crónica sobre spreads, a informar os leitores mais desinibidos que falo de spreads bancários, e não das habilidades da Sharapova com as pernas, seus tarados.

E por falar em tarado, se vocês soubessem as vezes que já convidei a Sharapova para bater umas bolas no meu court… No meu court ou no dela, tanto faz, desde que haja spreads de pernas altíssimos, e o meu dispensador de bolas esteja em dia sim. E já falta pouco para isso. Estou quase a convencer um hedge fund do Luxemburgo a patrocinar-lhe as cuecas por forma a pagar-lhe o serviço.

 O spread das pernas desta menina dá para pagar o bónus deste ano do Ricardo Salgado
O spread das pernas desta menina dá para pagar o bónus deste ano do Ricardo Salgado

Anyhoo, e por falar em órgãos que já tiveram melhores dias, todos sabemos que o Banco de Portugal já pouco mais faz do que mandar uns números pela janela. E que por esta altura já bateu tão fundo que nem um fax é capaz de receber, ou sequer chatear o Nuno Melo em condições.

É verdade que o Banco de Portugal reagiu à queixa da DECO relativa ao aumento unilateral de juros com um “não recebemos o seu fax ou então usámo-lo na nossa higiene, porque o sr. Governador mandou poupar nos toalhetes”. Ou seja, um “cagasti” para a DECO.

Não levo a mal, porque também me costuma acontecer o mesmo com as intimações das Finanças. Além disso, nunca se sabe se ao responder a uma correspondência da DECO não estamos a assinar a Proteste por duas gerações. Ainda assim, é bem melhor do que ver o Miguel Relvas a tentar fazer política, e soa menos a falso, capcioso e enganador.

Também é verdade que a DECO reenviou o fax via correio mas impresso em papel tão áspero quanto o feitio do ministro Santos Silva. E pronto, o BdP lá respondeu, mas apenas porque o papel podia estourar-lhes com as paredes do esfíncter, tubo tão necessário para quem trabalha sentado e recebe ordens do BCE.

É igualmente verdade que ao reenvio da intimação da agência com nome de jogador de futebol luso-coiso e mandrião, a resposta do Banco de Portugal foi ainda mais calaceira que o olho esquerdo do ministro Vieira da Silva. Assim tipo, “vamos tentar, mas podem contar tanto com isso como com uma proposta económica viável por parte do PCP”.

A Euribor está a descer, ou pelo menos não sobe. Mas a verdade, meus caros, é que se os bancos não aumentarem unilateralmente os juros, não conseguem ter milhões de lucro. Se não tiverem milhões de lucro, os gestores não têm milhões de bónus. Sem estes milhões de bónus, os gestores não conseguem abrir hedge funds no Luxemburgo. E sem hedge funds no Luxemburgo, eu não consigo comer a Sharapova. Portanto, paguem lá os spreads sem guinchar muito, está bem?

Por hoje é tudo. Vou gravar um jogo da Michelle Brito para ouvir logo à noite na cama.

É a Economia, hipotecados da sociedade.


Nota do autor (2015): Pedro Biltre Farfalho é um personagem fictício, supostamente versado em economia. Com uma personalidade estúpida e machista, foi o primeiro neo-liberal português, já que todos os textos foram escritos numa era pré-Passos. E por neo-liberal entenda-se, um prestador de serviços que está onde está o dinheiro.