É A ECONOMIA, ESTÚPIDO! – Vocês votam, e o burro sou eu?
22 Set

É A ECONOMIA, ESTÚPIDO! – Vocês votam, e o burro sou eu?

Boas!

Hoje recebi um email interessante. Primeiro, porque é o único que não contém videos de meninas a guinchar “ó-iesse foquemindiesse” enquanto perfuradas tal Serviço Nacional de Saúde no projecto de revisão da Constituição do PSD. Segundo, porque dá respostas inequivocas às perguntas: “Porque razão é que um homem de meia-idade, com calo sexual no abdómen e com pila pequena como eu consegue sacar meninas do tipo da Carolina Patrocínio?” e “O que fizemos nós para merecer o Sócrates?”. Fizeram muito, seus… seus… eleitores votantes.

Os melões ou os políticos não se querem ocos, mas às Carolinas da vida é dar graças a Deus que assim seja, ou só comeria semi-pensionistas
Os melões ou os políticos não se querem ocos, mas às Carolinas da vida é dar graças a Deus que assim seja, ou só comeria semi-pensionistas

Reparem, segue a lista de exemplos de eleitores que vinha à boleia no email.

Ao visitar uma casa, um homem perguntou à agente imobiliária para que lado era o Norte, porque não queria que o sol o acordasse todas as manhãs. A agente perguntou: “O sol nasce no Norte?”. Quando o homem lhe explicou que o sol nasce a Nascente (aliás, daí o nome), ela disse: “Ah, eu ainda estou em formação”. Pois é, as agentes imobiliárias votam!

Um operador de call-centre recebeu um telefonema inquirindo qual o horário de atendimento. Ele respondeu: “O número que o senhor ligou está disponível 24 horas por dia, 7 dias por semana.” Então o cliente pergunta: “Eu estou nos Açores. Isso é pelo horário de Lisboa ou pelo de Ponta Delgada?” Ele vota!

Uma colega apanhou queimaduras solares, por ter ido de carro para o litoral alentejano. Estava num descapotável, por isso, “não pensou que ficasse queimada, pois o carro estava em movimento.” Ela também vota!

Uma amiga tem uma ferramenta salva-vidas no carro, para cortar o cinto de segurança no caso de ficar presa. Mas guarda a ferramenta no porta-bagagens! A amiga também vota!

Um amigo comprou um frigorífico novo e, para se livrar do velho, colocou-o em frente do prédio, no passeio, com o aviso: “Grátis e a funcionar. Se quiser, pode levar”. O frigorífico ficou três dias no passeio, sem receber um olhar. Ele chegou à conclusão que as pessoas não acreditavam na oferta, e mudou o aviso: “Frigorífico à venda por €50”. Na hora seguinte tinha sido roubado! Cuidado! Este tipo de gente não só vota como, se tivesse oportunidade, usaria as contas de um sobrinho taxista na Suiça para guardar fundos de campanha!

E pronto, já entenderam como foi possível eleger Sócrates duas vezes. Ah! E como é que eu saco e rebolo com as Carolinas deste mundo. Elas votam e todos sabemos em quem, porque se todas as meninas tivessem opiniões tal Clara Ferreira Alves, ainda hoje eu estaria a esfregar a baguete à mão.

É a Economia, eleitor português. E o burro sou eu?


Nota do autor (2015): Pedro Biltre Farfalho é um personagem fictício, supostamente versado em economia. Com uma personalidade estúpida e machista, foi o primeiro neo-liberal português, já que todos os textos foram escritos numa era pré-Passos. E por neo-liberal entenda-se, um prestador de serviços que está onde está o dinheiro.